« Página principal | Governo avança com Informação Predial Única » | Chuvas afastam cenários mais pessimistas de seca e... » | Chernobyl: A poisonous legacy » | EXPONOR com quatro sectores em balanço, de 18 a 20... » | Barragens são risco para estuários » | Fafe: Junta propõe central para transformar lixo e... » | Viana do Castelo: Elevador a funcionar em Maio apó... » | Área Metropolitana do Porto: Dezenas de investimen... » | Águas do Douro e Paiva abre concurso para construç... » | Primeira "Geografia de Portugal" em 50 anos » 

27 março 2006 

Primeira obra da Porto Vivo, SRU em fase de conclusão

Está em fase de conclusão a primeira obra de reabilitação promovida pela Porto Vivo, SRU. O prédio intervencionado é propriedade da sociedade, estando situado no número 150 da Rua das Flores.

As obras começaram no início do mês de Junho de 2005, estando prevista a conclusão das mesmas no final do mês de Março deste ano.

O edifício sofreu obras complexas e profundas de reabilitação, resultantes de uma estrutura altamente degradada e desadequada às exigências das construções modernas e actuais. O prédio é constituído por um total de 6 andares, no entanto apenas o primeiro, segundo e terceiro andar se destinam a habitação, sendo que os 3 restantes, sub-cave, cave e rés-do-chão, terão como finalidade a instalação de um espaço destinado ao comércio.

O acesso ao prédio é feito pelo número 150 e 160 da Rua das Flores, cada andar terá dois apartamentos com tipologia T2, de aproximadamente 100 metros quadrados cada, representando um total de 6 espaços para habitação. A superfície comercial é composta por 3 pisos, numa área total de 650 metros quadrados.

O edifício da Porto Vivo, SRU foi dotado de um projecto tecnologicamente avançado, uma vez que a parceria com a PT Comunicações (Parceiro do Programa Viv’A Baixa) permitiu modificar o plano aprovado inicialmente, introduzindo o projecto ITED (Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios), obrigatório nos novos edifícios. Este projecto de telecomunicações irá permitir a colocação de uma rede Wireless em cada fracção do prédio.

As fundações foram equipadas com uma estrutura anti-sismica, de forma a responder às actuais exigências construtivas. A construção das lajes permitiu manter as características técnicas do edifício. A fachada foi recuperada e representa uma réplica fiel da que existia antes das obras de reabilitação mantendo-se o grafismo com a designação “Papelaria Reis”, no entanto foram introduzidos elementos de maior modernidade no piso recuado (3.º andar).

Alguns dos parceiros do Programa Viv’A Baixa, promovido pela Loja da Reabilitação, participaram na recuperação deste edifício, que será, certamente, o primeiro de muitos edifícios reabilitados pela Porto Vivo, SRU.

http://www.portovivosru.pt/verNoticia.php?noticia=109

Acerca da Cimeira

  • CIMEIRA do AMBIENTE, SEGURANÇA e QUALIDADE
  • 18-20 de Maio de 2006
  • EXPONOR - Feira Internacional do Porto
Powered by Blogger
e Blogger Templates