« Página principal | Lamego: Serra das Meadas assina protocolo com Parq... » | Parceiros do Programa Viv’A Baixa participam na re... » | Porto Vivo estuda 11 quarteirões nos Aliados » | A criar pontes entre cidades de hoje... e de amanh... » | Três milhões no metro em Março » | QUERCUS toma pulso à ecoconstrução » | Plano da Agenda 21 Local implementado » | Números verdes... » | Agricultura biológica a caminho » | Green.tv: PNUA Lança Primeiro Canal de Banda Larga... » 

28 abril 2006 

Projecto inédito de habitação sustentável nasce em Leça do Balio

Um empreendimento de habitação sustentável está a surgir em Leça do Balio. Trata-se de uma iniciativa inédita em Portugal que nasceu da união de esforços das cooperativas Nortecoope, Sete Bicas e CETA. O projecto foi apresentado no passado sábado.

Eduardo Coelho

O secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão, presidiu, no sábado, à apresentação de um projecto de habitação sustentável. Trata-se de um projecto inédito que está a ser construído em Leça do Balio.

O aproveitamento da água da chuva para abastecimento doméstico e a utilização de painéis solares para reduzir o consumo energético são algumas características desta iniciativa, por muitos considerado como a “habitação do futuro”. Refira-se que os princípios defendidos neste projecto apenas foram publicados em Diário da República do passado dia 4 de Abril.

Refira-se que a iniciativa agora apresentada contou com o apoio técnico da Universidade de Atenas (Grécia) e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, além de instituições de Portugal, França, Dinamarca e Grécia.

Processo
Em nome das cooperativas promotoras, Guilherme Vilaverde recordou que o processo de implantação do projecto que agora está em fase de conclusão não foi uma tarefa fácil, já que sendo um processo novo não foi bem aceite por alguns dos cooperantes.

Durante a sua intervenção, o também presidente da Federação Nacional das Cooperativas de Habitação salientou o papel de todos os envolvidos e em particular o Instituto Nacional de Habitação por este ter baixado em 0,5 por cento a taxa aplicada a este tipo de iniciativas.

Guilherme Pinto salientou o papel desempenhado pelo movimento cooperativo no desenvolvimento do concelho, razão pela qual se torna necessário fazer uma carta com os diversos empreendimentos dispersos pelo concelho.

Quanto às habitações de Leça do Balio, o presidente da câmara salientou a necessidade das mesmas serem acompanhadas com uma nova centralidade e uma requalificação do espaço envolvente.

Incentivos
“Todos os promotores devem cumprir a construção sustentável. A câmara municipal deverá colaborar nesse sentido, nomeadamente através de incentivos e redução de taxas”, concluiu.

João Ferrão referiu, na sua intervenção estarmos perante uma das prioridades do Executivo de José Sócrates, reconhecendo, no entanto, o facto do movimento cooperativo já estar à frente da iniciativa.
“A nossa aposta vai no sentido de aproveitar o próximo Quadro Comunitário de Apoio entre 2007 e 2013 para que este seja um estímulo à construção sustentável”, acrescentou o membro do Governo.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=182be0c5cdcd5072bb1864cdee4d3d6e&subsec=&id=624a725466c870d3c212719e57aa5122

Acerca da Cimeira

  • CIMEIRA do AMBIENTE, SEGURANÇA e QUALIDADE
  • 18-20 de Maio de 2006
  • EXPONOR - Feira Internacional do Porto
Powered by Blogger
e Blogger Templates