05 abril 2006 

A criar pontes entre cidades de hoje... e de amanhã

As cidades que temos e aquelas que, a avaliar pelos desafios no caminho, teremos que ter, isto se quisermos falar de qualidade de vida, competitividade e sustentabilidade urbana... Eis o mote para, em seminário, abordar outras tantas temáticas (cor)relacionadas, sob o "guarda-chuva" da CIMEIRA DO AMBIENTE, SEGURANÇA E QUALIDADE.

A iniciativa, desenhada pela EXPONOR em colaboração com a Sociedade de Reabilitação Urbana - Porto Vivo, acontece a 19 de Maio (sexta-feira), no Auditório B4 do Centro de Congressos da Feira Internacional do Porto, com as presenças confirmadas de conferencistas como Arlindo Cunha (SRU - Porto Vivo) e Álvaro Costa (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto), bem como as participações previstas do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, e do ministro português do Ambiente, Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, Francisco Nunes Correia.

O comentário pertencerá ao vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), Valente de Oliveira.

Serão apresentados alguns "case studies" tais como o de Rennes (França), no domínio da mobilidade, Bilbau (Espanha), como exemplo de transformação de uma cidade através da exploração de um equipamento cultural de referência, e Estocolmo (Suécia), ao nível do ambiente.

 

Três milhões no metro em Março

O metro do Porto ultrapassou, pela primeira vez, os três milhões de validações num mês. Em Março passado, as quatro linhas da rede já em funcionamento tiveram 3,067 milhões de clientes, o que representa um crescimento de 20% no número de validações face a Fevereiro e de 200% em relação a Março do ano passado.

O recorde de afluência mensal reflecte, sobretudo, a entrada em operação do novo troço da Linha Vermelha (Pedras Rubras/Trofa), uma vez que as ligações Fórum da Maia/ISMAI e Pólo Universitário/S. João só abriram no último dia do mês passado. Ou seja, é natural que, acrescentando as validações nestes dois novos troços, o recorde possa ser batido, de novo, durante o corrente mês.

De acordo com a Empresa do Metro, a média de validações em dias úteis, no mês passado, cifrou-se nas 117 210. O dia de maior procura foi 22 de Março (141 mil validações), quando se realizou o F. C. Porto-Sporting.

O trajecto mais procurado do metro (cuja velocidade comercial média é de 25,1 km/hora) é o troço comum a três das quatro linhas Estádio do Dragão/Senhora da Hora (50,2% das validações). Seguem-se a Linha Amarela (30,8%), a Azul (8,8%), a Vermelha (4,9%) e a Verde (4,3%).

http://jn.sapo.pt/2006/04/04/porto/tres_milhoes_metro_marco.html

04 abril 2006 

QUERCUS toma pulso à ecoconstrução


A QUERCUS (Norte) é uma das muitas entidades que dinamizam os eventos complementares à Cimeira do ASQ. A Associação Nacional de Conservação da Natureza dedicará todo o dia 20 de Maio (sábado) às temáticas relacionadas com o conceito de ecoconstrução, numa jornada de apresentações e debate que iniciar-se-á às 9:00 horas e terminará por volta das 17:30, no Auditório A4 do Centro de Congressos da EXPONOR.

O projecto Eco-casa, o programa Lisboa E-nova, a arquitectura sustentável, os materiais de construção ecológicos, o programa P3E/eficiência energética de edifícios, a reciclagem de materiais de construção, os edifícios saudáveis e os resíduos de construção e demolição são os assuntos em carteira.

Pela tribuna passarão especialistas como Aline Delgado (Quercus), Livia Tirone (Lisboa E-nova), Fernanda Seixas, Vasco Dias (Biohabitat), Paulo Rodrigues (Lipor), Ricardo Sá (Edifícios Saudáveis - Consultores), Jorge Brito (Instituto Superior Técnico) e Hélder Spínola (Quercus).

O seminário arranca às 9:30 horas e tem a sessão de encerramento marcada para as 16 horas.

 

Plano da Agenda 21 Local implementado

A Câmara Municipal de S. João da Madeira renovou o protocolo de colaboração com a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa (ESB) para a fase de implementação do Plano de Acção da Agenda 21 Local.

A ESB esteve representada pelo Grupo de Estudos Ambientais (GEA) e será responsável pelo acompanhamento técnico do projecto. Este projecto que se iniciou em Janeiro de 2003, encontra-se na fase de implementação de um conjunto de acções incluídas nos Planos de Acção apresentados publicamente em Julho de 2004, na sequência de um processo de preparação amplamente participado pelos são-joanenses e por várias entidades representativas da sociedade civil, desde associações culturais, desportivas, escolas até entidades do meio empresarial.

Reuniões
Na sequência do novo protocolo, serão realizadas reuniões do Grupo Coordenador e do Fórum Participativo, prestado apoio às iniciativas de comemoração do Dia da Terra (nos últimos dois anos comemorado a 22 de Abril, sendo que neste ano a iniciativa passará a Semana da Terra) e da Cidade no Jardim, iniciativa que decorrerá em Junho, à semelhança dos anos anteriores.

GEA Mais funções
O GEA prestará ainda assessoria técnica à autarquia na implementação de várias medidas de melhoria da gestão de resíduos, nomeadamente na revisão do actual regulamento municipal de resíduos e limpeza urbana e na implementação da recolha selectiva porta-a-porta.

http://www.oprimeirodejaneiro.pt/?op=artigo&sec=eccbc87e4b5ce2fe28308fd9f2a7baf3&subsec=&id=bbf6b4c3739b4fe3e4ecf968c7fab06e

 

Números verdes...

Entre 2000 e 2004, os eventos reunidos em torno da feira PORTUGAL AMBIENTE (bienal) trouxeram ao recinto de feiras da EXPONOR um global de 1.215 empresas expositoras e marcas representadas e receberam um total de 22.643 visitas.

Feito o balanço de três edições, a PORTUGAL AMBIENTE congregou uma média de 405 expositores (directos e indirectos) e 7.548 visitas por certame.

De forma a aproveitar sinergias existentes, este ano foi decidido juntar à feira PORTUGAL AMBIENTE, mais três certames - INTERSEGURANÇA, INTERMUNICIPAL e QUALIDADE - denominando-se o seu conjunto por CIMEIRA DO AMBIENTE, SEGURANÇA E QUALIDADE ou simplesmente CIMEIRA-ASQ.

 

Agricultura biológica a caminho

Berta Carvalho

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso já está a preparar as terras para agricultura biológica, numa área localizada no exterior ao Centro de Interpretação da Bioeconomia, na freguesia de Calvos.

Trata-se de uma medida no âmbito do projecto comunitário Biologic@ - Uma Perspectiva Bioeconomica do Futuro, que visa o desenvolvimento da bioeconomia no concelho.

Segundo fonte da autarquia, a conversão desta área, com cerca de 3,10 hectares, surge como "estímulo", sendo a primeira a ser convertida para agricultura biológica na Póvoa de Lanhoso, fruto do Biologic@, mas em curso já estão trabalhos idênticos desenvolvidos pelos promotores privados que aderiram ao projecto.

De acordo com a mesma fonte, aquele projecto insere-se na especificação do Centro de Interpretação da Bioeconomia, para responder aos objectivos do projecto Biologic@, que tem a Póvoa de Lanhoso como chefe-de-fila a sensibilização para o modo de produção biológico, tendo como público-alvo a população escolar do concelho, os produtores agrícolas, os turistas e o público em geral.

Em breve, aquela nova valência do Centro de Interpretação, onde já funcionam os serviços de apoio técnico na componente de Bioagricultura, terá um espaço de hortas pedagógicas sob responsabilidade das escolas, espaço para culturas de plantas aromáticas e medicinais, para a produção de chás biológicos, um pomar e uma zona para pequenos frutos.

O Centro de Interpretação contará, ainda, com um bar apenas com produtos biológicos, provenientes da área exterior, assim como dos produtores aderentes, para consumo dos visitantes daquele espaço alternativo.

http://jn.sapo.pt/2006/04/03/minho/agricultura_biologica_a_caminho.html

 

Green.tv: PNUA Lança Primeiro Canal de Banda Larga Dedicado ao Ambiente

O Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA) lançou o primeiro canal de televisão do mundo de banda larga dedicado ao ambiente. O "green.tv" vai concentrar-se em temas que vão das alterações climáticas a histórias de crianças sobre a vida selvagem.

O canal de televisão na Internet pode ser consultado em http://www.green.tv/ e disponibiliza filmes de todo o mundo produzidos por organizações não governamentais, por realizadores desconhecidos, por organismos públicos e empresas com interesses comprovados na protecção do ambiente.

«O green.tv é um projecto verdadeiramente inovador que influenciará, sem dúvida, o campo da realização de filmes sobre o ambiente e da investigação ambiental», disse o director da Divisão de Comunicações e Informação ao Público do PNUA, Eric Falt. «O green.tv tem o potencial de se tornar um ponto de referência de banda larga neste campo».

O projecto disponibiliza sete canais que cobrem: ar, terra, água, alterações climáticas, pessoas, espécies e tecnologias. Combinará estas áreas com os melhores elementos da Internet, proporcionando acesso a salas de conversa online e a vídeos.

Fonte: Organização das Nações Unidas

 

Cimeira com blogue

A CIMEIRA do AMBIENTE, SEGURANÇA e QUALIDADE, evento que agrupa os certames PORTUGAL AMBIENTE, INTERMUNICIPAL, INTERSEGURANÇA e QUALIDADE, conta desde há alguns dias com um blogue, que pode ser acedido em http://cimeira-asq.blogspot.com/.

Intitulado "CIMEIRA-ASQ", o blogue versa temas relacionados com o Ambiente, o Ordenamento do Território, a Segurança e a Qualidade.

O destaque principal é dado às grandes notícias dos sectores presentes no certame que decorrerá na EXPONOR entre os dias 18 e 20 de Maio, intercaladas com informações específicas das feiras. Incluem-se, ainda, ligações a blogues e sítios da Internet relevantes para quem se interessa por estes assuntos.

03 abril 2006 

Delibes: 'Si la extinción sigue a este ritmo, en 2050 se perderá la mitad de la biodiversidad'

VALENCIA.- Miguel Delibes, profesor de investigación del Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), ha asegurado que "si la extinción de especies continúa a este ritmo, en 2050 se habrá perdido la mitad de la biodiversidad que existe en la actualidad".

El investigador explicó, a través de un comunicado, que "la causa de fondo de la extinción presente es la competencia que ejerce nuestra especie sobre las restantes a la hora de utilizar los limitados recursos del planeta Tierra".

Miguel Delibes interviene con la conferencia '¿Por qué debemos conservar la naturaleza?' en el Jardín Botánico de Valencia en el ciclo 'Biodiversidad y Conservación en el siglo XXI', organizado por la Fundación BBVA y el CSIC

Su objetivo es dar a conocer a la sociedad las amenazas a las que se enfrenta la biodiversidad y las medidas que se están adoptando para paliar esta grave crisis. Miguel Delibes defenderá en su charla "la necesidad de una conservación activa del medio ambiente".

Para este científico "conservar la naturaleza no es un capricho, ni tampoco (con serlo) una mera obligación ética, sino una necesidad para la especie humana". Delibes considera que la biodiversidad debe de ser entendida como un patrimonio o propiedad colectiva que, como tal, debe ser estudiada científicamente, utilizada racionalmente y conservada.

En lo que respecta al uso de los recursos que proporciona la biodiversidad, destaca cuatro aspectos principales: el consumo directo (caza y pesca), la utilización de productos derivados (medicinas y pesticidas), el valor de amenidad y la importancia de los servicios ecosistémicos (agua, luz y calor). La caza de animales silvestres aún aporta gran parte de las proteínas animales consumidas en muchos países en desarrollo (hasta el 75% en Zaire, por ejemplo). En Nepal, más del 90% del combustible doméstico está formado por leña y excrementos secos de animales.

Por otra parte, casi la mitad de los medicamentos que se utilizan regularmente en los países occidentales tienen su origen en productos naturales, y los 20 fármacos más vendidos en Estados Unidos se han obtenido originalmente de especies silvestres. Respecto al valor de amenidad, hace unos años se estimó que cada león del Amboseli, en Kenya, aportaba al país 27.000 dólares por año en renta turística; en este sentido, destaca también que 77 millones de habitantes de Estados Unidos mayores de 16 años cazan, pescan o salen al campo cada año a observar y fotografiar animales, invirtiendo en ello más de cien mil millones de dólares.

En cuanto a los servicios ecosistémicos, que hacen que la biosfera sea amigable para nuestra especie (regulando los gases atmosféricos y el clima, amortiguando las perturbaciones, controlando la erosión, fertilizando el suelo), su valor alcanza una cifra estimada entre el doble y el triple del producto global bruto.

Miguel Delibes pone de manifiesto la crisis actual de la biodiversidad, con tasas de extinción seguramente comparables a las de algunas de las grandes crisis del pasado remoto. Se ha estimado que entre diez mil y cincuenta mil especies se extinguen cada año en la actualidad, y Edward O. Wilson ha sugerido que, de seguir la extinción a este ritmo, a mediados de siglo se habrá perdido la mitad de la biodiversidad existente.

http://www.elmundo.es/elmundo/2006/04/03/ciencia/1144053774.html

 

Renovação do Bom Jesus

Magalhães Costa

A Casa das Estampas/Museu, a par da remodelação - já em curso - do elevador, constituem as últimas intervenções do projecto de reabilitação da estância turístico-religiosa do Bom Jesus, cujo investimento ascende a cerca de 16 milhões de euros, 7,6 milhões dos quais financiados ao abrigo do Projecto Integrado de Turismo Regional (Piter). As obras consideradas "de vulto", que duram há três anos, estarão concluídas em Junho, segundo previsão da Confraria do Bom Jesus.

Entre as principais intervenções de natureza pública já realizadas, conta-se a recuperação de todo o "percurso sagrado" do Bom Jesus, com a beneficiação de matas e jardins, iluminação geral, sinalética, vedações e entradas. De acordo com o cónego Cândido Pedrosa, em causa esteve a reabilitação de toda a zona envolvente entre o lago e a Mãe d´Água Lago, tendo em vista a "disciplina" de todo o espaço público até agora usufruído pelos turistas. "A estância do Bom Jesus apresenta-se, agora, mais renovada e mais atractiva para os visitantes, já que foram implementados alguns equipamentos para melhor acolhimento das pessoas, desde a renovação de passeios até ás áreas de lazer", disse o responsável da Confraria do Bom Jesus.

O projecto insere-se na lógica de reforçar "o brilho" do património da Igreja, alusão feita pelo arcebispo-primaz de Braga, D.Jorge Ortiga, reconhecendo a "acelerada degradação" que marcou, na última década, a estância do Bom Jesus.

A par daquelas obras, o cónego Cândido Pedrosa destacou os trabalhos de âmbito privado, ou seja, a recuperação dos dois hotéis, "Sul Americano" e "Lago", que irão reforçar, a curto prazo, a oferta hoteleira do Bom Jesus em cerca de 100 camas. O projecto de reabilitação do Bom Jesus contempla, ainda, a construção de uma piscina, dois campos de ténis e três parques infantis, além da recuperação da antiga Casa de Chá e a sua transformação num Centro de Congressos. Para o cónego Cândido Pedrosa, todos os equipamentos de animação turístico-cultural e religiosa deverão estar concluídos até ao início do Verão.

http://jn.sapo.pt/2006/04/02/minho/renovacao_bom_jesus.html

 

Alunos da ESAD ajudam a qualificar Parque de Real

Joana Felizes

Arrancou, ontem, um projecto de colaboração entre a Câmara Municipal de Matosinhos e a Escola Superior de Arte e Design (ESAD) para a qualificação do Parque Urbano de Real. O ponto de partida para esta parceria foi uma conferência dos arquitectos Manuel Graças Dias e Maurizio Vogliazzo sobre "Espaços de Proximidade - Intervir no Parque Urbano de Real".

O referido espaço foi já intervencionado, estando o projecto apenas concluído a um terço daquilo que se prevê. Com a colaboração com a ESAD, pretende-se que o parque, que está já em crescimento, seja potenciado.

Durante a tarde de ontem, os alunos envolvidos na parceria foram ao local, para fazer o reconhecimento do terreno. O arquitecto responsável pela orientação do projecto é o italiano Maurizzio Vogliazzo, que colaborou anteriormente com a ESAD na intervenção no jardim das Sete Bicas, na Senhora da Hora.

Os grupos de trabalho serão nove, tendo cada um deles cinco estudantes da ESAD. Paralelamente, alguns alunos de Maurizzio Vogliazzo da Faculdade de Milão também vão trabalhar no projecto. No final de Maio será apresentada a proposta final.

Para Manuel Graça Dias, "é necessário que o parque tenha algum equipamento ligeiro que possa atrair um grande número de pessoas, de todos os escalões etários". Outra questão que o arquitecto considera fundamental é a existência "de percursos confortáveis e rápidos para aqueles que quiserem atravessar o parque".

O responsável pela orientação do projecto considera que "se trata de transformar um terreno muito interessante num organismo efectivamente vital para o funcionamento urbano". Para Maurizio Vogliazzo, "a palavra-chave é encontrar a identidade precisa do parque, de forma a dar conforto quotidiano aos cidadãos".

http://jn.sapo.pt/2006/03/31/porto/alunos_esad_ajudam_a_qualificar_parq.html

Acerca da Cimeira

  • CIMEIRA do AMBIENTE, SEGURANÇA e QUALIDADE
  • 18-20 de Maio de 2006
  • EXPONOR - Feira Internacional do Porto
Powered by Blogger
e Blogger Templates